quarta-feira, fevereiro 18, 2009



Tenho um problema de base!
Nas séries, nos filmes e noutras ficções que tal, sempre achei mais piada às personagens secundárias, ao amigo totó, àquela personagem que ninguém repara, que não sobressai. (minto, porque acaba por sobressair, mas apenas pelas estupidezes que faz!)

Não raras vezes tinha mesmo alguma vergonha em confidenciá-lo porque, da primeira vez que o fiz, verdade seja dita, fui alvo de alguma chacota. E como agravante tenho um fascínio ainda maior por personagens que são extremamente desajeitadas, atrapalhadas e realmente descontextualizadas!
Actualmente lido bem isso (choro baba e ranho por não poder ser normal ou partilhar gostos com as amigas e, houve mesmo uma vez que dei por mim a bater com a cabeça nas paredes!)

Já o meu querido progenitor masculino me adverte vezes sem conta que preciso de ter mais brio!
Mas esta incapacidade latente de contrariar os conselhos que os pais dão, acho que me vai perseguir sempre!
E eu, parece-me que estou condenada a “apaixonar-me” pela trivialidade das imperfeições. Daquelas naturalmente despercebidas e realmente autênticas, transmitidas em gestos mesmo discretos!

4 comentários:

Zé David disse...

Eu não me sinto mal por isso.
Eu também curto o Seth Cohen!
E o Forrest Gump, a Académica, aquele gajo que leva com os matulões da turma e deixa cair os livros enquanto fecha o cacifo.

Teresa disse...

Seth Cohen???

Tas a gozar??
Esse é uma das melhores personagens de sempre =)

palmo&meio disse...

Também era de longe o meu preferido :)

An@ disse...

:)
O facto de seres despistada ajuda um pouco, não? como te compreendo!
Também acho que as coisas com um toque natural do "desejeitado" e imperfeito vai dando mais piada no desenrolar do que quer que seja: filme, ou realidade! Torna sempre as coisas engraçadas e, lá está o falado, menos comum... é como que personalizar as situações e as pessoas... aquele toque especial :)

*gosto :)

*beijo, gémea